sábado, 10 de maio de 2008

"Para Minha Mãe", escrito por mim...

Este texto eu escrevi em homenagem à minha mãe e através dele tento mostrar o papel importante que a mãe tem na vida do(s) seu(s) filhos(s) e, desta forma, homenagear todas as mães.
"Mãe, hoje acordei pensando muito em você e em muitas coisas que fizemos e passamos juntas, recordações que estão muito vivas e latentes no meu "banco de memórias".Acho que uma das melhores recordações foi a da viagem que ganhei até a Bahia, de presente pelos meus 15 anos e que você foi comigo!!! Lembra, mãe, de como nos divertimos e esquecemos até que um diria teríamos que voltar? Fora que todo mundo me achou estranha, pois a moda era ir para a Disney e eu quis ir para a Bahia!!!! Foram 2 semanas mágicas!!!!!
E quando eu passei no vestibular? Você e a Nanica (a minha irmã) com o Otávio no colo, andando atrás de mim no trote (naquele tempo ainda era pacífico, o triste foi tirar a tinta!!!!), a tarde inteira. Se eu estava cansada, imagina só vocês!
Os anos passaram rápidos, não foi, mãe? A faculdade passou à galope, a formatura veio, e lá estava a família toda comemorando junto, veio rapidinho o início da vida profissional e a coleção de desastres amorosos. Muita coisa mudou e você sempre firme e forte ao meu lado, incansável, insistente e persistente, como só você sabe ser.
Quando fiquei doente (na realidade já estava há muito tempo, mas ninguém descobria o que era) e precisei passar por aquela cirurgia, você foi o meu suporte, soube entender a minha dor mediante o fato nu e cru da minha esterilidade, recompensa pela endometriose diagnosticada tardiamente. Me escutou incansávelmente, até o assunto esgotar, sem fazer uma única crítica que fosse.
E a nossa viagem para Cuba (olha nós duas sendo diferentes, de novo!!!!), mãe? Como foi bom, mas pena que durou tão pouco, se bem que a saudade de casa já estava apertando. A gente se virou direitinho, apesar do meu inglês ser meio "fajuto", não foi? E ainda trouxemos um montão de fotos, para podermos recordar à olhos vistos.
Pois é, mãe, e quando eu já estava me preparando para ser a tia solteirona dos meus sobrinhos, conheci o Nelson. E ele rapidinho quis casar comigo e eu mais do que depressinha, aceitei. Pronto, a maratona havia começado e você comigo o tempo todo, desde a primeira prova do vestido de noiva até a última, já na semana do casamento. Nossa, mãe, o quanto fiz você andar!!! E no dia do casamento, você esqueceu de ir se arrumar, todo mundo ficou te esperando no cabelereiro, lembra? Só você, mesmo!
E o dia em que a Ana Clara chegou? Que sufoco, hein? Você não conseguiu desmarcar o compromisso e teve que ir até Paranaguá e a pessoa que te deu carona na volta, resolveu fazer aquela parada na estrada para um "lanchinho" e nada de se mexer para vir embora e você louca para ver a carinha dela. Mas compensou a espera, não é? Quando você chegou aqui em casa, a maioria das visitas já tinha ido embora e você e o pai puderam curtir a nova neta com mais tranquilidade. E hoje, sempre que estamos indo para a praia, e passamos ali no Bella Vista, você recorda deste dia e o melhor é que a Ana Clara já recorda junto!
E agora que as coisas estão mais acomodadas, continuamos sempre por perto uma da outra, e o mais engraçado, é que não falta assunto nunca, pelo contrário, parece que falta tempo para podermos colocar as novidades em dia!!!
Mãe, em resumo, o que eu queria te mostrar, é que em todos os momentos principais da minha vida você esteve junto , independente da qualidade deles (bons ou ruins). Você é o meu alicerce e o meu exemplo, sempre, de força, de coragem e sobretudo, de dignidade.
Te amo, mãe!! "

*imagem de Anne Geddes

2 comentários:

Elisabete disse...

Olá amiga! É um texto muito bonito, uma linda homenagem. Gostei tanto que o meu voto foi para ti lá no Palácio Real. Desculpa só hoje ter-me apercebido que somos vizinhas lá no Palácio.
Beijo grande e bom fim de semana!

Juliana disse...

Oi Lekka. Como está? Retribuindo a visita, beijos